Para que serve esse Site?

Sobre o autor deste site…
Este site serve para divulgar os aspectos do conhecimento que me motivam a continuar estudando e aprendendo. Dada a minha formação, há uma ênfase especial para as ciências exatas, em particular Matemática, Física e Ciência da Computação. Mas nada impede que eu acrescente aqui outros tópicos de estudo para a consideração do leitor e, quando apropriado, para provocar um debate.

Podemos encontrar hoje um volume muito grande de postagens na Internet, sobre praticamente qualquer assunto que desejarmos. Algumas são de bom nível, a maioria é de qualidade duvidosa. O importante é aprender como encontrar uma informação e saber julgar sua qualidade. Processar o que se lê é o maior desafio.

Junto à disponiblidade a informação, dois fenômenos são observados. Um deles o grande volume de falsos especialistas, pessoas que opinam livremente sobre coisas que conhecem pouco. O segundo consiste em uma tendência para a radicalização, um efeito intensificado pelos mecanismos de propaganda e divulgação dos conteúdos e a aparente possibilidade para se expressar de forma anônima.

Motivação

Apesar da tecnologia para armazenar e distruibuir a informação, e da disponibilidade de mecanismos de filtros e buscas eficientes , os sistemas de educação e a escola têm dificuldade para incorporar os avanços tecnológicos e se beneficiar deles. Além disso no Brasil a educação hoje entrenta uma crise generalizada.

Cada vez mais as pessoas usam o conhecimento (e pagam por ele), sem o compreender. Ciência e tecnologia progridem em ritmo acelerado e a se torna mais difícil acompanhar os avanços científicos e culturais. A especialização se torna mais necessária. No entanto o uso desinformado da tecnologia não parece ser uma boa coisa para a população que se torna incapaz de tomar decisões bem informadas. Coletivamente a ignorância básica gera um retorno a posições fundamentalistas e alienação da modernidade.

Como dizia Arthur Clarke, em suas três leis:
Qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistinguível da magia.”

A maioria das pessoas hoje usa “caixas pretas” sem o menor entendimento de como elas funcionam. Assisto em sala de aula como a alienação ganha espaço: poucos alunos, por exemplo, possuem noções básicas sobre a física moderna, em tópicos tais como mecânica quântica, relatividade, astrofísica, e muitos outros. No entanto usamos efeitos quânticos em cada relógio moderno de pulso, aparelho de televisão, computadores e praticamente todas as engenhocas modernas. Usamos aparelhos que se utilizam de partículas de antimatéria (não, não é ficção científica…) para gerar imagens internas minuciosamente detalhadas, nos aparelhos de PET (Pósitron Emission Tecnology ou, tecnologia de emissão de pósitrons, um tipo de tomógrafo!) e cada grande cidade do mundo hoje possui vários destes aparelhos.

Na matemática a desinformação é gritante. A maioria das pessoas, mesmo aquelas que passaram por cursos superiores que envolvem o estudo desta disciplina, retém pouco do conteúdo aprendido na escola. Entendo portanto que o ensino da matemática, e das demais ciências exatas, precisa ser modificado. Uma nova seleção de conteúdos deve ser encontrada para a formação dos currículos e ementas, uma nova abordagem de ensino deve ser definida. E um grande esforço deve ser feito para investigar e desenvolver técnicas educacionais que se utilizam da informática.

O uso cego do computador, por pessoas que não entendem como ele funciona, é um problema a ser atacado. Hoje uma pessoa comum, não um técnico da área, deve ser capaz de elaborar o pensamento lógico, entender um pouco sobre o funcionamento dos aparelhos que nos cercam e conhecer, pelo menos de modo geral, o funcionamento de um computador, especialmente na parte lógica e de programação.

O uso de alta tecnologia sem o conhecimento mínimo de seu funcionamento pode levar as pessoas a uma nova era de obscurantismo. Economicamente já é bem conhecido o efeito de dependência dos países em desenvolvimento ou subdesenvolvidos em relação aos detentores da informação. Por outro lado o crescimento da intolerância e do fundamentalismo religioso, mesmo em países ricos, aponta para o fracasso do sistema educacional atual. Países como os Estados Unidos e Inglaterra têm se deparado com a difícil tarefa de ensinar conceitos básicos em biologia, por exemplo, para comunidades que se apegam de modo literal à sua formação religiosa. Existem escolas nestes paises onde não se pode ensinar a teoria evolucionária de Darwin, ou em que se deve ensinar criacionismo juntamente com a perspectiva científica.

Neste sentido a busca de conhecimento e por maior eficiência na educação é um ato de resistência que pode ter consequências importantes a longo prazo. Este é o sentimento que norteia a construção deste site.

As três leis de Arthur C. Clarke

  1. Quando um velho e respeitado cientista afirma que algo é possível as chances são grandes de ele esteja certo. Mas, se ele afirma que algo é impossível, provavelmente estará errado.
  2. A única maneira de descobrir os limites do possível é buscando se avançar além, na direção do impossível.
  3. Qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistinguível da magia.

Sobre o Autor do Site

Olá! Meu nome é Guilherme Santos Silva e sou o autor deste site. Sou Graduado em Física pela Universidade Federal de Minas Gerais, fiz Mestrado em Física e Doutorado em Matemática, ambos pela Universidade de Brasília.

Este site serve como uma contribuição ao entendimento e ao ensino, onde divulgo meus estudos e entendimento sobre ciências.

Também, coloco aqui as coisas que escrevo, minhas reflexões sobre um mundo que pode, poderia ou poderá vir a existir, por meio de contos de ficção científica!